Novidades musicais de todos os tempos. Também estamos em:

Flickr : Youtube : Twitter : Facebook

Destaques do site:

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Resenha de Shows que eu não fui: Dia da Rua, Vulgo Qinho & Os Cara

Um dia eu estava a caminho do Baratos da Ribeiro, no metro, quando tive uma súbita vontade de ler um texto do Joaquim(no qual ele falava do momento em que ouviu no radio o Sgt Peppers e do choque que aquilo lhe causara) que estava colado no meu caderno, li. Quase em lágrimas depois, comecei a refletir sobre aquilo... ‘Será que hoje eu encontro alguma coisa especial no Vespeiro?’. Não! Eu não tinha expectativa nenhuma para aquele dia. Acabou que cheguei muito cedo no sebo, o som ainda estava sendo arrumado, alguns minutos pro show começar... E começou, boa a banda, mas nada de mais, a surpresa minha seria a segunda da noite. Já começaram no pesado, só o olhar aqueles quinhentos pedais me fez bem, mas o que viria depois, o show... Sim tinha valido a pena! Como era bom aquilo! Entrei em transe ouvindo. Que banda legal! Acabou que eu puxei papo com Qinho e fui em mais agluns shows.
Eu nem desconfiava das estórias que eu ia ganhar com isso, aqui está a melhor delas:
“Qual é essa do dia da rua?” “Me passa o teu tel pra mim te explicar melhor”. OK, o impacto não seria o mesmo trocando scrap no orkut, saber de 15 shows ao mesmo tempo na rua foi sureal, nunca tinha imaginado algo assim! Do jeito que a banda é ligada com essa coisa de perder o medo e sair de casa, isso era um indicio de um puta show! Falei que ia, e também ia dar um jeito de gerar conteúdo no blog.
E o dia demorou pra chegar... Mas chegou, era cerca de 6horas da noite e eu estava lá no ponto esperando o ônibus atrasado... Demorou porem cheguei vivo na rodoviária, mas o que me complicou mesmo foi o tempo até o Leblon... Velocidade máxima = 40km/h, centenas de sinais vermelhos, inúmeros carros ficavam bloqueando alguns acessos, ou seja, deu tudo errado e eu demorei mais de uma hora nisso. Chegando na rua, correndo, já ouvia o pessoal se despedindo... Já era, cheguei no final do show.
- Mil desculpas cara...
- Que isso cara! Tá triste porquê?
Tava todo mundo muito feliz por lá e eu chateado por ter perdido o show, preferi marchar de volta... Depois peguei o ônibus errado, andei a beça...E ainda chateado...
Lembra daquele metro no qual eu tinha lido o texto do Joaquim e talz? Voltei pra lá, mas com outra cara, totalmente diferente daquela de outra vez. Com direito a musica fúnebre no som! Abri o caderno e comecei a escrever isso aqui pra melhorar, duvida? Pergunta só pra minha mãe! Ela viu tudo!
Esse ia ser o quarto show a qual eu marcaria presença, e com certeza foi o melhor.

4 comentários:

Anônimo disse...

porra, mas a idéia do show na rua é sempre foda. vários ao mesmo tempo é genial.

Túlio disse...

Concordo! Tinha que ter isso todo mês!

Anônimo disse...

mas neguinho já vetou pq foi sem autorização, li no globo, a galera do SOMA fez um na Lapa mas com todas as autorizações, prefeitura, light, bombeiro e policia.

Anônimo disse...

Tá rolando nesse exato momento um discussão sobre isso via email...
Sacanagem... Todo mundo que apareceu na rua tava de cara boa, não tinha uma pessoa reclamando...
Parece que no Binario chamaram a Policia, mas a galera lá deu um jeito e não chamaram mais.
Parece que o pessoal não quer saber da posição da subprefeitura não, deve rolar outro.
Amanhã vai sair uma nota de apoio ao evento pelo Joaquim, tão organizando tbm uma carta coletiva