Novidades musicais de todos os tempos. Também estamos em:

Flickr : Youtube : Twitter : Facebook

Destaques do site:

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Resenha, fotos, vídeos: Tom Zé no Brasil Rural Contemporâneo (21/11/12)

Tom Zé - 21/11/12




Começou nesta quarta-feira a edição 2012 da Feira Brasil Rural Contemporâneo, que traz produtos caseiros do Brasil todo, queijos, vinhos, doces, cachaças e shows, conforme já divulgamos a programação aqui. E foi um bom começo, com o show do Tom Zé.




Tom Zé - 21/11/12




Como se trata de um evento com exposição de produtos de feira agrícola, Tom Zé entra com sua banda como se fosse um cantador de feira do interior - embora nenhum cantador antes na história andou por aí com um rabo vermelho e branco amarrado em suas costas - e aproveitou para provocar a jovem plateia urbana, pedindo para o pessoal parar de plantar maconha e plantar alface.





"2001"




Provocações feitas, é hora de música, e com um disco novo na bagagem, Tropicália Lixo Lógico, o baiano até que dá uma mexida no seu repertório habitual, e é bem provável que tenha impressionado quem não conhece bem seu trabalho com os gritos de "Não Tenha Ódio No Verão", canção do disco novo que tem toda pinta de que vai passar a fazer parte do setlist padrão de Tom Zé (meio estranho juntar Tom Zé e "padrão" numa mesma frase, eu sei).




Tom Zé - 21/11/12



"Capitais e Tais" foi outra do disco novo tocada, mas a grande surpresa mesmo para mim foi a inclusão de um tema que tinha tudo a ver com a feira de agricultura: "O Abacaxi de Irará", música do meu disco favorito do Tom Zé, Se O Caso é Chorar, de 1972.




Tom Zé - 21/11/12




De resto, foram as músicas que Tom Zé já toca há bastante tempo, mas sempre com um improviso ou outro, seja para tocar ou para explicar o que está tocando: "Augusta, Angélica e Consolação", "Hein?", "2001", "Politicar" com boa resposta do público, "Nave Maria", "Ogodô ano 2000", "Jingle do Disco" e "Xique Xique".




Tom Zé - 21/11/12




E tudo isso com um vigor assombroso para um senhor de 76 anos, que às vezes esquece as letras das músicas, mas pula e joga as pernas lá no alto durante pouco mais de uma hora de uma forma que você que está lendo isso provavelmente não conseguiria. Para completar passa a parte final do show vestido com uma calcinha fio dental rosa. Felizmente por cima da calça, como vocês podem ver nas fotos.




Tom Zé - 21/11/12




A participação do baiano Bule Bule no final, mandando um repente-samba ao pandeiro com a banda de Tom Zé, não fez feio, mas também não acrescentou muito a uma apresentação exemplar.

A programação do Brasil Rural Contemporâneo segue até domingo. Veja a programação.

Nenhum comentário: