Novidades musicais de todos os tempos. Também estamos em:

Flickr : Youtube : Twitter : Facebook

Destaques do site:

terça-feira, 1 de abril de 2014

Paes sobre BRT: "como se fosse um metrô sobre rodas, com o custo bem menor". O custo do BRT: dezessete mortes desde 2012





No dia 06 de junho de 2012 foi inaugurado o primeiro corredor dos chamados BRT, que deve ser pronunciado como bí-ár-tí, já que é a sigla para Bus Rapid Transit.



O link acima é de uma empresa que "prestou auxílio técnico à prefeitura do Rio por meio de auditorias de segurança viária no projeto, medida fundamental para reduzir o risco de acidentes no corredor e salvar vidas."



No mesmo link há uma declaração recorrente do prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes ao fazer a comparação e justificar a preferência em implantar esses BRTs, em vez de induzir o governo estadual a expandir a pífia rede de metrô da cidade.



"É uma mudança cultural na maneira de se locomover na cidade. É como se fosse um metrô sobre rodas, com o custo bem menor"



A justificativa foi repetida aqui:


"LNET! – Após os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016 não seria uma boa hora para, como legado, tentar em parceria com os governos do estado e federal a ampliação das linhas de metrô?

PAES - Mas é possível?

LNET! – Não sei. Estou te perguntando. O prefeito é o senhor.

PAES - Não é. Basta olhar a história. Uma estaçãozinha aqui, outra lá, o BRT custa só 15 vezes menos."



Aqui, muito embora diga que "prefira o metrô":

"- Prefiro o metrô, mas o BRT custa muito menos e não sei se moradores de Santa Cruz, por exemplo, conseguiriam esperar mais 20 ou 30 anos por uma alternativa."



Aqui.

"- As cidades que não têm tanto poder ou tanto dinheiro, podem criar soluções inovadoras como os BRTs, que são muito mais baratos que o metrô."



E aqui.

"A nossa grande aposta são os BRTs. Os BRTs são um solução brasileira, originalmente de Curitiba, que é um transporte de alta capacidade, com um custo dez vezes menor que o do Metrô e que você faz muito mais rápido."



E mais aqui:

"A gente fez a opção por um transporte, que é o BRT, que custa muito mais barato e se permite chegar e melhora muito a vida das pessoas."


E em mais um monte de lugares.




O prefeito não está errado em relação ao custo financeiro. Realmente, é mais barato que o metrô, muito embora não seja difícil de encontrar em muitos sites declarações de especialistas e não-especialistas dizendo o óbvio, que não são sistemas de transportes excludentes, muito pelo contrário. Então se estão fazendo montes de BRTs e não há nenhum planejamento do metrô chegar a essas áreas de BRT e outras áreas, já está errado.



Mas existe um custo desse sistema que é muito maior do que seria com o metrô. São os custos das vidas perdidas por um sistema muito menos seguro do que o transporte subterrâneo.



Em três meses desde o inauguração do primeiro BRT, quatro mortes já haviam acontecido. Em um ano foram dez mortes.



A partir daí não há registro preciso da quantidade de mortos até a data de hoje, mas pesquisando por diversos sites, contabilizei, de junho do ano passado até hoje, mais sete mortos, contabilizando um total de 17 mortes. Os feridos por BRTs? Bem mais de cem pessoas. Diversos acidentes envolveram de 12 a mais de 30 passageiros.



Aqui, uma lista de somente alguns dos muitos acidentes com o BRT.


08/06/2012 - um dos carros do BRT Transoeste que seguia em direção à Estação Alvorada, bateu em um caminhão

16/06/2012 - BRT e um Corsa colidiram, sem feridos

25/06/2012 - pedestre atropelado

27/06/2012 - pedestre atropelado

04/07/2012 - estudante Felipe Carneiro Freitas, de 18 anos, atropelado, morreu semanas depois

06/07/2012 - Paulo Sérgio de Macedo, de 26 anos, atropelado, vítima fatal

17/07/2012 - motoboy José Santos de Oliveira, 44 anos, mão fraturada

27/07/2012 - José Leandro dos Santos, morto

11/08/2012 - mulher não identificada, morta

22/08/2012, manhã - três feridos dentro de um carro que colidiu com um BRT, um deles, Leonardo Martins, em estado grave.

22/08/2012, tarde - dois feridos em colisão na estação Gláucio Gil

28/08/2012 - Bruno Edde, ferido em colisão com BRT, traumatismo craniano

31/08/2012 - Casal fica ferido em batida de carro e ônibus do BRT Transoeste na Barra

13/09/2012 - Um ônibus do BRT Transoeste se envolveu num acidente com um carro de passeio entre as estações Américas Park e Novo Leblon. Sandra Soren, 57 anos, morreu no local.

22/03/2013 - Rogério do Nascimento, 50 anos, morto por ônibus que atingiu seu carro, mais duas pessoas feridas

25/06/2013 - carro e ônibus BRT colidem

02/07/2013 - morte até em obra inacabada do BRT

04/07/2013 - carro atingido, dois feridos

06/08/2013 - três BRT engavetados, 36 feridos

09/08/2013 - acidente entre ônibus BRT e carro, quatro feridos

09/09/2013 - 34 feridos em acidente entre dois ônibus, um deles BRT

09/09/2013 (sim, mesmo dia) - acidente entre ônibus BRT e carro, seis feridos

11/09/2013 - três feridos em acidente entre carro e BRT

13/09/2013 - carro X BRT: dois feridos

18/10/2013 - acidente entre ônibus do BRT e motocicleta

30/10/2013 - acidente entre ônibus do BRT e carro

06/11/2013 - atropelamento por ônibus BRT

11/11/2013 - acidente entre carro e ônibus BRT, seis feridos

19/11/2013 - carro X BRT

28/11/2013 - motociclista ferido, atingido por BRT

29/11/2013 - carro X BRT, três feridos

??/11/2013 - passageira de 45 anos teve um corte superficial na cabeça

02/12/2013 - carro X BRT, três feridos

08/12/2013 - táxi X BRT

21/12/2013 - Fabio Juan Faria e Silva, 11 anos, morreu dias após ser atropelado por um ônibus Ligeirão Transoeste

24/12/2013 - mulher morre após colisão entre carro e BRT

31/01/2014 - 12 pessoas feridas, BRT perdeu o pneu na altura da estação Santa Mônica Jardins

05/02/2014 - Homem morre atropelado por ônibus do BRT no Recreio

24/03/2014 - três crianças mortas e três pessoas feridas

27/03/2014 - 32 feridos em colisão entre ônibus BRT e carreta

31/03/2014 - BRT X carro, quatro feridos, dois em estado grave



Muitos desses acidentes seriam por conta de imprudência de pedestres e motoristas de carros e motos, que invadiriam a pista exclusiva do BRT. Ninguém precisa achar certo, mas para muitas pessoas ainda não existe o costume de atravessar na faixa de pedestres, de passar na via com os carros em movimentos.



Existem várias soluções para isso e nenhuma delas pode ser esse tipo de "punição", com atropelamento e morte. Além disso, alguns dos acidentes com maior número de vítimas aconteceram com o engavetamento de três ônibus do BRT e a tragédia do mês passado com três crianças mortas, que estavam seguindo todas as regras de trânsito.



O BRT é um sistema rápido e letal. E quanto menos se gasta com a segurança e prevenção para passageiros, pedestres e motoristas, mais barato e mais assassino ele se torna.



(a foto é de José Pedro Monteiro)

Nenhum comentário: