Novidades musicais de todos os tempos. Também estamos em:

Flickr : Youtube : Twitter : Facebook

Destaques do site:

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Vídeos: quase tudo do show do Thundercat no Circo Voador (10/05/2018)




Do manual de clichês batidões de críticas musicais, mas vamos lá: o supermercado da música atual tem ingredientes cada vez mais variados e mesmo assim não é sempre que alguém consegue juntar coisas que pareciam tão distintas até o momento que alguém chega lá e faz. E aí tudo pode parecer natural por mais que o criador das misturas em questão, Thundercat, deixe uma assinatura tão particular que qualquer seguidor no futuro terá que rebolar para não passar por mera cópia.







Só dá para começar a pensar essas ideias jogadas no primeiro parágrafo depois que a gente supera a visão do incrível baixo de 6 cordas de Thundercat. Se apresentando no Circo Voador, o artista é quase tão extravagante quanto seu instrumento, com dreadlocks vermelhos, boné e uma mistura de roupão com short que não dá pra saber se ele está indo para um ringue ou para a cama.







Mas ele está no Circo, no Rio, e aparentemente amando cada momento, a considerar os elogios que faz ao país e à cidade em particular. Para mostrar as músicas do elogiado disco Drunk, lançado ano passado, ele traz os muitos teclados de Dennis Hamm e a bateria frenética e violenta de Justin Brown, tão violenta que uma caixa não sobreviveu até o fim às baquetadas. Três caras e uma montanha de sons em cada instrumento.







Quase já de cara, entre um vocal suave e meloso e outro, Thundercat mostra que nenhuma daquelas cordas do baixo estão ali sem propósito, trazendo um jazz nervoso, rápido e curto. Nada de 10 minutos de virtuose, é uma "virtuosecore" porque o cara, pela duração das músicas tem muito o que mostrar.







E até o meio do show já fomos arremessados num encontro de jazz, fusion, rap (com trechos de faixas gravadas por Kendrick Lamar), soul, AOR de deixar Ed Motta feliz, música brasileira (esta Cumbuca meio surda acredita que ele em dado momento mencionou Marcos Valle) e muito mais. Vai da maior breguice ao som mais vanguardista, jogando referências nerds, seja musicais ou da cultura pop em especial videogames (recebeu todo feliz de um fã uma camisa do Sonic) e animes como Dragon Ball Z, além de toda uma ode apaixonada e engraçada ao Japão, antes e durante a execução de "Tokio".







Poderia ter, e de certa forma tem, um quê de Mr. Bungle, Frank Zappa, até Boredoms, vindo de um cara que passa por Erykah Badu, Suicidal Tendencies, Flying Lotus, Kamasi Washington, e termina sendo um dos aríetes que auxilia Kendrick Lammar a derrubar tudo no rap e na música pop atual.







E o lance todo é envolvente e faz até o público miar! Mais uma noite bem especial tanto para o público quanto para Thundercat.







As fotos boas, tiradas por Dine Araújo, vocês podem ver no Flick do La Cumbuca.


Gravamos quase todas as músicas do show, algumas completas e outras só um trecho. Veja aqui ou aí embaixo.




Músicas gravadas:

- "Rabbot Ho"

- "Captain Stupido"

- "Uh Uh"

- "Bus in These Streets"

- "These Walls"

- "A Fan's Mail (Tron Song Suite II)"

- "Tron Song"

- "Jethro"

- "Heartbreaks + Setbacks"

- "Lava Lamp"

- "Lone Wolf and Cub"

- "Hard Times"

- "MmmHmm"

- "Complexion"

- "I Am Crazy"

- "3AM"

- "Drunk"

- "Drink Dat"

- "Tokyo"

- "Friend Zone"

- "Them Changes"

- "Lotus and the Jondy"

- "DUI"

Nenhum comentário: