Novidades musicais de todos os tempos. Também estamos em:

Flickr : Youtube : Twitter : Facebook

Destaques do site:

domingo, 10 de junho de 2012

Falando sobre a MPB

Debate sobre MPB no Espaço Sesc

Nem só de debates sobre sustentabilidade ou meio ambiente o Rio de Janeiro viverá nos próximos dias (alô, "Rio + 20"!). O Sesc preparou um ciclo de debates, seguidos de shows, sobre a música brasileira, que de tão diversificada e interessante, sempre rende um boa conversa.

Serão quatro mesas, com títulos e temas que brincam com a sigla MPB: Música pós-Buarque, Música pós-Baudelaire, Música pós-Björk e Música pós-Bahia.

Apelando para o bom e velho "copia-e-cola", uma explicação melhor sobre o evento, que já começou no dia 8, mas ainda rola na semana que vem :

Discutir o atual cenário da música popular brasileira é o objetivo do ciclo “Transversais do tempo”, que será realizado nos dias 8, 9, 15 e 16 de junho, no Espaço Sesc, em Copacabana. Batizado em homenagem à canção de João Bosco e Aldir Blanc, que deu nome a um clássico show de Elis Regina, em 1978, o evento pretende, por meio de uma série de shows com os compositores Armando Lobo, Pedro Moraes, Thiago Amud e o grupo Escambo, antecedidos por debates com jornalistas, artistas e pensadores, apresentar diferentes perspectivas sobre a música contemporânea.

O título de cada um dos dias do ciclo é uma bem-humorada reinterpretação da sigla “MPB”, relacionando o olhar musical e poético desta nova geração a provocadores temas, que vão desde a relação com a tradição da grande canção brasileira (Música pós-Buarque) à relação com a literatura e com os abismos da alma (Música pós-Baudelaire), passando por uma revisão do multiculturalismo, pós-modernidade, cruzamentos entre pop e erudito (Música pós-Björk) e, por fim, refletindo sobre a herança do Tropicalismo, seus frutos e problemas (Música pós-Bahia).

Os debates serão mediados pelo pesquisador e músico Thiago de Melo, doutor em Antropologia com a tese “MPB não é tudo: os discursos da renovação da música brasileira”. As apresentações musicais marcam o lançamento do CD de dois compositores, Pedro Moares (Claroescuro) e Armando Lôbo (“Técnicas modernas do êxtase”).

Programação:

Dia 8/6 – MPB: Música pós-Baudelaire – Literatura e a Canção Contemporânea
19h – Debate com Renato Rezende - poeta premiado pela Fundação Biblioteca Nacional por seus livros “Aura” (1999) e “Ímpar” (2005). Integrante do comitê editorial da editora Circuito - e Antonio Jardim - Doutor em Poética pela 
Faculdade de Letras da UFRJ e professor da pós-graduação em Ciência da Literatura/Poética da Faculdade de Letras da UFRJ. Violonista e membro fundador do grupo Música Surda, que, desde 2001, desenvolve um trabalho de elaboração poética e musical voltado para a canção brasileira.

21h – Show: Thiago Amud e Sergio Krakowski duo.
Compositor, arranjador, cantor e violonista já gravado por Milton Nascimento, Mariana Baltar e outros, Thiago Amud, no show em duo com o pandeirista Sergio Krakowski, combina canções de seu CD “Sacradança”, como a metafísica “Pedra de iniciação” e a mordaz “Marcha dos desacontecimentos”, com o repertório de seu próximo disco, em pré-produção, “De ponta a ponta tudo é praia palma”.

Dia 9/6 – MPB: Música pós-Buarque – O cânone cancionista e a Canção Contemporânea
19h – debate com Leonardo Lichote - repórter e crítico musical do jornal O Globo - e Paulo da Costa e Silva - doutor em Literatura pela PUC-Rio e Paris 7-Sorbonne, com pesquisa sobre as aproximações entre o Impressionismo e a Bossa Nova. É coordenador da Rádio Batuta, do Instituto Moreira Salles.

21h – Show: Pedro Moraes – Lançamento do CD “Claroescuro”
Considerada pela imprensa nacional “o próximo passo da MPB” (A Tarde), a música de Moraes também vem reverberando em turnês para a Ásia, Europa e Estados Unidos, onde foi eleito um dos dez melhores artistas de World Music de 2010, pelo jornal Boston Globe. No show, o compositor, acompanhado de Ivo Senra (teclados), Sidão Santos (baixo) e Cássius Teperson (bateria), combina canções do CD “Claroescuro”, como “Marcela” e “Zingareio”, que teve participação de Alcione, a releituras personalíssimas de clássicos como “Dora” (Dorival Caymmi) e “With a little help from my friends” (Beatles).

Dia 15/6 – MPB: Música pós-Björk – Experimental, pop, primal, tecnológico e Canção Contemporânea.
19h – debate com Eduardo Losso - professor de Teoria da Literatura da UFRRJ. Fez doutorado em Leipzig sobre a mística em Adorno - e Hugo Sukman - jornalista e crítico de música. Recentemente publicou o livro "Histórias Paralelas: 50 anos de música brasileira", em que propõe uma releitura histórica original e diversificada da história recente de nossa música.

21h – Show: Armando Lôbo (lançamento do CD “Técnicas modernas do êxtase”).
Compositor, cantor, violonista e arranjador pernambucano. Com suas canções poéticas, originais e surpreendentes, Armando transforma temas e ritmos de seus estado de origem, referências eruditas e do universo pop em música contemporânea brasileira. Este show marcará o lançamento de seu terceiro CD solo, Técnicas Modernas do Êxtase (Delira Musica).

Dia 16/6 – MPB: Música pós-Bahia – Herança e questões da Tropicália e a Canção Contemporânea.
19h – debate com Miguel Jost - doutor em Literatura pela PUC-Rio e pesquisador da música popular brasileira - e André Felix - jornalista, roteirista, diretor e crítico de cinema. Um dos fundadores do coletivo Chama.

21h – Show: Escambo
Formado pelos compositores cariocas Renato Frazão, Thiago Thiago de Mello e Lucas Dain, o grupo Escambo reúne lirismo sutil a ironia cortante, apresentando o repertório do elogiado CD de estreia “Flúor”.

Para quem quiser maiores informações, clique aqui.

Transversais do Tempo

Quando: 08, 09, 15 e 16/06

Horário: 19h (debates) 21h (shows)

Quanto: R$ 20 (inteira), R$ 10 (estudantes, jovens até 21 anos e maiores de 60 anos), R$ 5 (associados Sesc Rio)

Onde: Espaço Sesc: Rua Domingos Ferreira, 160 - Copacabana

Nenhum comentário: