Novidades musicais de todos os tempos. Também estamos em:

Flickr : Youtube : Twitter : Facebook

Destaques do site:

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Vídeos: a Abertura do Carnaval Não Oficial do Rio de Janeiro (06/01/2019)





Há quem ache que o ano só começa mesmo depois da quarta-feira de cinzas. Outros acreditam que o ciclo que interessa mesmo é o período entre o começo dos ensaios até a hora da verdade. Para esse segundo grupo, podemos considerar que no último domingo foi dada a largada oficial-porém-não-oficial desse limbo entre um ano e outro que é o período carnavalesco, com a abertura do carnaval não-oficial do Rio de Janeiro.







Organizado desde 2011 pelos representantes, em sua maioria, de blocos e cordões não muito afeitos às regras e patrocínios impostos pela prefeitura, a abertura tem sido acompanhada há anos por La Cumbuca. Já registramos aqui a de 2014, a épica edição de 2015, e a consolidação de um certo formato com os eventos de 2017 e 2018, onde os blocos, que antes se revezavam pela Praça XV, hoje parte deles buscam pontos do centro até se reunir na Praça com o Boi Tolo para, bem, boitolar.







Alguns começam seu desfile inaugural até em outros bairros, como Lapa e Glória. Chegando na região do Castelo por volta das 4 da tarde, foi possível esbarrar no bloco Me Enterra Na Quarta, que vinha do MAM e ia juntando foliões que começavam a aparecer. Na Praça XV já tinha uma profusão de blocos e também as fanfarras que nesta época se misturam ao carnaval com seus sopros e percussões e trazem seus repertórios em muitos casos peculiares.







Na Candelária as Mulheres Rodadas começavam a se preparar para desfilar até o destino de todos os blocos. Logo ali perto, na Rua da Quitanda, longe da molecada que ia tomando o Centro, o Cordão do Prata Preta, mais uma vez de forma discreta, faz um passeio pela área com pouco mais de duas dezenas de pessoas, mostrando a beleza e suavidade de marchas-rancho e partindo com velocidade desenfreada e inigualável nas marchinhas mais animadas.







Foi desse jeito até o Arco do Teles, quando junta bastante gente e começa a variar o repertório para músicas mais novas, sucessos pop, funk e música baiana em versões carnavalescas. É a transformação que vai acontecendo até os blocos se juntarem sob o manto do Boi tolo e rumarem ao desconhecido, que este ano era a Presidente Antônio Carlos. Ao mesmo tempo, um pouco mais para trás, alguns blocos já se juntavam nas escadarias da Alerj, uma tradição.







Na área da Candelária já estavam todos os blocos e foliões juntos em direção à Praça Mauá, em percurso semelhante ao de 2017, passando pela Marechal Floriano e a Rua do Acre enquanto anoitecia. É tanta gente e é tão caótico, que impressiona que a bagunça dê tão certo. Dali, a massa foi tomando a Rio Branco e já estava bom para encerrar o expediente, mas dizem que os últimos músicos só pararam de tocar na Praia de Botafogo! Ou não pararam? Onde está o Boi Tolo?
Bem vindos ao período carnavalesco pré-2019.








Alguns trechos de alguns blocos estão aqui.






Sequência foi essa:


Bloco Me Enterra Na Quarta - "Turma do Funil"

Fanfarra Labirintos Públicos - "A Hora e a Vez do Cabelo Nascer"

Cordão do Prata Preta - "Se Você Jurar"

Cordão do Prata Preta - "Bandeira Branca"

Cordão do Prata Preta - "Sassaricando" / "Índio Quer Apito"

Boi Tolo e outros blocos - "Pam Pam Pam Pam Hey"

Nenhum comentário: