Novidades musicais de todos os tempos. Também estamos em:

Flickr : Youtube : Twitter : Facebook

Destaques do site:

terça-feira, 16 de abril de 2013

Resenha, fotos e 14 vídeos do Two Door Cinema Club no Circo Voador (29/03/13)




Cariocas de portas abertas, novamente, para o Two Door Cinema Club (ou o título com o pior trocadilho dos últimos tempos)




Dez e meia da noite e a pista do Circo Voador praticamente lotada. Afinal, das quatro bandas do Lollapallooza Brasil que pingaram no Rio de Janeiro (ao lado do Hot Chip, Passion Pit e Alabama Shakes) os irlandeses do Two Door Cinema Club foram os que venderam mais ingressos.





A abertura, por conta da Mahmundi, manteve o padrão do que seria o resto da noite, com o público pulando e acompanhando as músicas. A cantora conseguiu entreter e aquecer bem o público para o que viria a seguir. E ainda apresentou uma música inédita, devidamente registrada aqui no La Cumbuca. A recepção calorosa (não resisti) ao hit, "Calor do Amor" foi um dos inúmeros pontos altos da noite.






Um fato que me chamou bastante a atenção foi a diferença da faixa etária do show do Hot Chip, no dia anterior, para o Two Door: se na quinta, o público era um pouco mais velho, na sexta, os adolescentes vieram em peso. Não era muito difícil achar pais/mães (com caras de entediados) acompanhando seus filhos. Só no ponto onde fiquei, eram visíveis 3 combos pais & filhos; praticamente, um show-família. Se bem que o TDCC (vamos abreviar isso logo para facilitar) passa mesmo essa imagem: de "roqueiros" bonzinhos e inofensivos.






Dizem que o primeiro show do TDCC no Circo Voador, em janeiro de 2011, foi ótimo, e isso deve ter colaborado também. Mas eu não imaginava que o TDCC tivesse fãs tão fervorosos assim (a ponto de arrastarem os pais, por exemplo). Mal soava a primeira nota da música, o público vinha abaixo. Não houve uma canção que não fosse ovacionada, até as mais lentas/contemplativas mantinham o mesmo clima "alto, em cima, alto, em cima".






Em "I Can Talk", o público torna-se o quinto integrante da banda. A coreografia de mãos para cima e as pessoas fazendo o coro (ah, oh, ah, ah, oh, ah, oh, ah, ah, oh, ah, oh, ah, ah, oh, hey, hey!), no começo e no final da música, é de arrepiar.







Na penúltima música antes do bis (e foram dois bis!), "Eat That Up, It's Good For You", aproximadamente 30 bolas grandes foram jogadas na plateia, dando um colorido (apesar das bolas serem brancas) especial ao resto do show. Era divertido ver: os músicos protegendo os instrumentos, o povo pulando para alcançar as bolas, pessoas brincando de vôlei, gente agarrando-as para levar para casa ou fotografá-las (?!?).







E, novamente em comparação ao show do Hot Chip (é a última vez, prometo), as músicas do TDCC ao vivo tornam-se mais interessantes. Não que eu desgoste da banda, só a achava parecida com um monte de outras com a mesma proposta e sonoridade. Porém, no palco, talvez pela participação afetiva do público do Circo Voador (e isso conta bastante), pude perceber mais qualidades do que minha vã filosofia poderia supor. Conclusão: ambas as bandas servem tanto para pista quanto ao vivo.  E isso talvez seja o bastante, não?



Vejam 14 vídeos (e 16 músicas das 19 do setlist) que gravei:






Ou clique aqui!



Lista de músicas:


Sleep alone

Under cover martyn / Do you want it all?

Wake up

Settle / Sun

I can talk

The world is watching

Next year

Something good can work

Handshake

Someday

Eat that up, it's good for you

Come back home

What you know

Cigarettes in the theatre (encerramento do show)


Nenhum comentário: