Novidades musicais de todos os tempos. Também estamos em:

Flickr : Youtube : Twitter : Facebook

Destaques do site:

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Participações e Portas Abertas

Não sei exatamente quando começou isso, mas agora é quase obrigatório: se um artista faz uma temporada em uma casa de shows traz toda semana um ou dois artistas para uma canja. Assim de cabeça lembro do Marcos Valle ano passado no Cinematheque levando a cada semana Marcelo Camelo, Fino Coletivo, MorenoDomenicoKassin e aquelas apresentações acabaram por virar um CD. Este ano já teve Silvia Machete no Mistura Fina com Nina Becker, Edu Krieger, entre outras aparições. Casuarina também está fazendo isso este mês, trazendo de B Negão a Beth Carvalho. E na sexta passada o Fino Coletivo iniciou sua temporada no Parada da Lapa, trazendo De Leve e Totonho. E é aí que entra uma grande vantagem desse esquema de participações: a chance rara de ver De Leve se apresentando! Mesmo que seja por duas músicas, ainda mais uma delas sendo "Diploma".

De Leve, Totonho e Fino Coletivo

O show do Fino Coletivo foi da competência de sempre. Fotos em http://lacumbuca.multiply.com/photos/album/57/

Mudando de assunto, quase na surdina aconteceu neste final de semana o Arte de Portas Abertas em Santa Teresa. Além de uma oportunidade de conhecer ateliês e a arquitetura de algumas casas do bairro, haviam também shows, como o do 3 a 1, e blocos sem serem anunciados (até onde eu procurei), provavelmente para não superlotar as ruas e ladeiras de lá, como já acontece no carnaval. Uma pena para quem não foi, mas realmente o lugar fica muito mais transitável e divertido com menos muvuca, sem deixar de estar cheio. E é mais uma boa iniciativa, tal qual o Dia da Rua, para quem quer uma boa opção de música e lazer sem ter que pagar altos preços dos shows e festas atuais, além de, felizmente, não acabar tarde. Fórmula fácil para um evento de sucesso. Fotos em breve.

2 comentários:

Vanessa Lee disse...

Esse costume de trazer um convidado a cada semana pode ser para causar interesse de a pessoa ir mais de uma vez, prá ver os diferentes convidados, ou para atrair os admiradores de cada convidado...

Qdo fui ao Rio ouvia que TINHA que ir prá Sta Teresa pq era legal, bonito, cultural, etc...
Mas... não achei lá essas coisas, não. Quer dizer, é um bairro de arquitetura antiga. Mas eu moro em Salvador, nem Sta Teresa, nem Olinda chegam aos pés do Pelourinho, então...
Legal mesmo foi o passeio de bondinho. A gente começou a nadar e veio aquela sensação de: "Sim, é só isso?"
E prá completar, assim que desci do bondinho um pombo ainda cagou em minha cabeça... Isso não foi lá um desejo de "boas-vindas", né? Isso pode ter influenciado negativamente minha impressão do bairro, já que fiquei de super mal- humor.

Otaner disse...

Pelourinho e Santa Teresa são lindos! Cada qual com sua particularidade. Em Santa Teresa tem que saber andar nos lugares certos pra ver as belezas, mas é tudo mais tranquiiiilo. E Olinda espero descobrir em 2009.

Quanto aos convidados, é isso mesmo. E uma oportunidade de se criar e sustentar uma "cena" musical, ou algo que o valha. Uma chance de fãs de um artista conhecerem outro. Acho uma ótima idéia, só acho curioso que tem uma boa quantidade desse tipo de show acontecendo. Será que está dando tão certo isso, ou é só uma insistência saudável? Independente disso é algo legal e pra se observar...