Novidades musicais de todos os tempos. Também estamos em:

Flickr : Youtube : Twitter : Facebook

Destaques do site:

sábado, 15 de janeiro de 2011

25 shows nacionais de 2010 - 13: Caldo de Piaba

13 - Caldo de Piaba
07/02/10 - Boomerangue, Grito Rock Salvador
12/03/10 - Caixa Cultural, Mostra Instrumental Contemporânea
13/03/10 - Baratos da Ribeiro, Copacabana
15/05/10 - Virada Cultural, São Paulo


Caldo de Piaba - 07/02/10


A piadinha de que o Acre não existe já é bem manjada e sempre foi boba. Afinal de contas, se as pessoas acreditam no Espírito Santo, por que não no Acre? Com a iniciativa e empreendedorismo de produtores como o pessoal do coletivo Fora do Eixo, os anos 00 viram despontar nomes de cidades fora do Rio-São Paulo (o “eixo”, para eles, e me pergunto se eles incluem aí Salvador, Porto Alegre e Recife) que não costumavam ter muita chance de projeção.



Um grande exemplo disso foi Cuiabá. Duas bandas de lá conseguiram tocar em vários festivais pelo país e tiveram os nomes comentados pelo menos por quem se interessa por música um pouco além do que é veiculado pelo grandes grupos de mídia.


O primeiro a aparecer foi o Vanguart. Com os hits alternativos “Semáforo” e “Cachaça”, muita gente acreditava que eles pudessem ser os “próximos Los Hermanos”. Não foi exatamente o que aconteceu. A banda cuiabana que impressionou e continua impressionando até hoje com seus shows é o trio instrumental Macaco Bong, que já apareceu nessa lista de shows nacionais de 2010.



O Acre seguiu essa história quase no formato de fotocópia, não muito tempo depois. Muito utilizando o mote de haver algum ineditismo em uma banda de pop rock brasileira que surgisse em terra tão distante, Los Porongas começava a frequentar sites e espaços virtuais especializados nesse segmento alternativo, conseguindo alcançar suplementos culturais do “eixo”.



Falam bem dos shows, mas os registros em estúdio e demos nunca me sensibilizaram. Hoje em dia não ouço falar muito deles. Mas no final de 2009 e começo deste ano o que se falava do Acre era – repare como a história se repete – um trio instrumental. O nome deles: Caldo de Piaba. Rock, ska e ritmos do norte, a nova onda do momento, os caras certos no lugar certo para mim, já que eu estava em Salvador quando eles iam se apresentar no Grito Rock realizado um semana antes do carnaval.


Contei sobre isso aqui, eis um trecho:


"Então chega a vez do trio instrumental do Acre. E sem complicar muito, misturando guitarrada, ska, blue e funk, mostrando desde músicas próprias a recriações de Tim Maia e Beatles, Caldo de Piaba faz o grande show da noite. Dentro do universo instrumental brasileiro eles não se aproximam do virtuosismo do Macaco Bong ou do som experimental de boa parte dos grupos desse gênero. Estariam mais próximos de uma mistura entre os gaúchos do Pata de Elefante e os paraenses do La Pupuña.


Caldo de Piaba - 07/02/10


Tenho uma certa preocupação com esse excesso de música instrumental no circuito independente, mas na hora que grupos como o Caldo de Piaba começam a tocar, fica difícil ter outra coisa em mente além de curtir o som."



Pouco tempo depois, no Rio, aconteceu um festival de música instrumental e lá estavam eles. O show agradou, tinha até turma acreana presente, mas o ambiente frio e meio distante do Teatro Nelson Rodrigues, da Caixa Cultural, não demonstrava o que eles são de verdade.


Caldo de Piaba - 12/03/10


Brinco com meu comparsa Túlio que eles deveriam tocar no dia seguinte no sebo da Baratos da Ribeiro. Digo pra ele ligar para o Mauricio da Baratos e de repente a brincadeira fica séria. No dia seguinte o trio consegue justificar sua recente fama, entre livros e discos antigos, para um seleto público conhecer melhor o que três caras conseguem fazer quando pegam tecnobrega, guitarrada, blues e ska numa talagada só. Tudo isso faltando uma hora para o vôo deles de volta pra casa.


Caldo de Piaba - 13/03/10
Caldo de Piaba - 13/03/10


Na loucura de shows da Virada Cultural em São Paulo, corri para pegar pelo menos um pedacinho do show deles e só cheguei a tempo de ouvir “I Want You (She's So Heavy)”, que John, Paul, George e Ringo não poderiam imaginar se transformar em várias levadas entre a surf music e o carimbó. Como desde então não ouvi falar mais do Caldo de Piaba, valeu a pena correr por uma única música.


Caldo de Piaba - 15/05/10

Nenhum comentário: