Novidades musicais de todos os tempos. Também estamos em:

Flickr : Youtube : Twitter : Facebook

Destaques do site:

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

200 Discos Nacionais dos Anos 00 - 160 a 151

160 - Karina Buhr - Ao vivo no Prata da Casa e Vozes do Brasil (2008)

"A gente pula contra a vontade do chão", Karina Buhr dá o recado em "O Pé", faixa que abre esse cd que aproveita as boas gravações feitas em um show no Sesc e com um bônus contendo músicas gravadas em um programa de rádio. Neste, que nem é um cd oficial da cantora, Karina faz da quebra de expectativas o seu pulo do(a) gato(a). Líder da Comadre Fulozinha, grupo que usa dos sons regionais de Pernambuco, em seu trabalho solo é o caráter urbano que é utilizado. Apesar da guitarra ainda passar longe, aqui estão bateria, baixo, teclados e trompete de Gui "Guizado" Mendonça.



159 - Vulgo Qinho e os Cara - Vulgo Qinho e os Cara (2007)

Com uma MPB influenciada por soul, o disco do Vulgo Qinho e os Cara tem como característica as intervenções poéticas de Omar Salomão, filho de Waly Salomão, conferindo ao trabalho um ar de pós-tropicalismo. As melhores canções são as que abrem o disco, "Galo" e "Negra Melodia".
Leia: Entrevista do Túlio com Qinho


158 - Chico Buarque - Carioca (2006)

É o Chico Buarque, pô!
Recomendo "Subúrbio", "Outros Sonhos" e "Leve".



157 - Isaar - Copo de Espuma (2009)

Isaar integrava junto com Karina Buhr a Comadre Fulozinha, mas saiu da banda em 2004 e iniciou uma carreira solo dois anos depois com Azul Claro. No trabalho mais recente, Isaar consolida uma sonoridade que aceita o baixo e a guitarra, mas com a condição de estarem alinhados a uma percussividade dançante, muito embora seu cantar calmo seja um contraste com o ritmo. Destaque para a regravação de "Palhaço do Circo Sem Futuro", do Cordel do Fogo Encantado.



156 - Wado - Manifesto da Arte Periférica (2001)

Wado nasceu em Santa Catarina e cresceu em Alagoas e, talvez por isso, está sempre interessado em colocar misturas que fogem de obviedades para mostrar suas canções. Não é à toa que seu primeiro disco se chama Manifesto da Arte Periférica, ainda que esse conceito esteja melhor explorado em discos posteriores e aqui a coisa funcione mais como uma coleção de músicas com jeito de best of: "Uma Raiz, Uma Flor", "A Coisa Mais Linda do Mundo", "Beijou Você" e a versão para "Ontem Eu Sambei", música dos pernambucanos do Eddie.



155 - Cidadão Instigado - E o Método Tufo de Experiências (2005)

Não costumo acreditar em discos difíceis. Não há motivo de ficar dando chances para um disco descer bem, algo que muitas vezes fazemos ao ver tantos elogios sobre um determinado trabalho. Esse foi o caso do Método Tufo, que vez por outra eu resolvia dar uma chance depois de assistir um show deles. Até que um dia a ficha caiu e a maluca odisséia sonora de Fernando Catatau pelos timbres mais improváveis dentro de um coquetel de música brega, progressiva, guitarreira e experimental fez sentido a ponto de entrar aqui nessa lista com vários destaques: "Os Urubus Só Pensam Em Te Comer", "O Pobre Dos Dentes de Ouro", "O Pinto De Peitos", "Calma!" e as deliciosamente bregas "Te Encontra Logo" e "O Tempo".



154 - Cibelle - Cibelle (2003)

Talvez o mais próximo existente de um trip-hop tropical (trop hop?) quando começa com a música "Deixa", o primeiro disco em que Cibelle tem no sossego, na bela voz e na excelente produção de Apollo 9 a soma para um bonito trabalho que privilegia a tradição da música brasileira trazida para o século XXI. Ouça também "Hate", "Luisas" e a versão de "Inútil Paisagem", de Tom Jobim.


153 - Móveis Coloniais de Acaju - EP (2001)

Primeira gravação do grupo brasiliense, já mostrava que eles estavam chegando para animar a festa, com bastante ska, swing e sopros em profusão.



152 - Marisa Monte - Universo ao Meu Redor (2006)

Lançado ao mesmo tempo que o disco Infinito Particular, este Universo ao Meu Redor é um disco com sambas enquanto o outro é mais pop. Se tiver que escolher entre um dos dois, não tenha dúvidas: é neste aqui que estão as melhores e mais interessantes músicas, o melhor trabalho de Marisa Monte nesta década. Recomendo "Meu Canário", "Três Letrinhas" e "Pétalas Esquecidas".



151 - Capital Inicial - Acústico MTV (2001)

Dinho Ouro Preto com o passar dos anos se transformou para muitos no sujeito meio caricato que quer parecer mais jovem do que é e fica falando "do caralho" e "qualé moçada!" entre uma música e outra. O rock'n'roll depois de uma certa idade tem desses riscos, apesar de por esse aspecto eu não ver qual a diferença entre o Capital e os Rolling Stones, por exemplo. Aqui neste acústico eles acertam as contas com o passado e pegam algumas das melhores músicas deles dos anos 80 que tinham uma produção pavorosa e dão a elas uma reabilitação, além de algumas músicas do ótimo disco anterior, Atrás dos Olhos. Melhor ainda, resgatam "Primeiros Erros", música de Kiko Zambianchi que também participou da gravação deste acústico.

Um comentário:

Diogo disse...

Eu estava na gravação do Prata da Casa com a Karina Buhr. As músicas dela são ótimas!