Novidades musicais de todos os tempos. Também estamos em:

Flickr : Youtube : Twitter : Facebook

Destaques do site:

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Virada Cultural 2013, parte 5: George Clinton e o som baseado no groove

Já eram quase 3 da manhã em São Paulo, e depois de assistir Elma, Chinese Cookie Poets, Lucas Santtana, Metá Metá, Black Star e Kaoma com participação de Gaby Amarantos, vai ficando difícil controlar as emoções, ainda mais com a expectativa por um show do George Clinton, uma das duas razões para ter ido à São Paulo este ano, e que começaria em poucos minutos.



De certa forma, no início houve a lembrança do show realizado ano passado no mesmo horário e local, de Seun Kuti & Egypt 80. A banda vai entrando, aquecendo a audiência e preparando para a entrada de um George Clinton com um visual muito mais sóbrio e elegante do que aquela figura icônica pela qual sempre foi conhecido, cheia de dreadlocks que formavam um arco-íris em volta de sua cabeça.



Enquanto isso, os mais de 15 músicos no palco, representando os grupos Parliament e Funkadelic (agora chamados de P-Funk All Stars), tinham o guarda-roupa mais variado possível, sem contar o dançarino mascarado Sir Nose, saltitando e gingando por toda a estrutura do palco.



Esses 15 músicos são mais do que um espetáculo musical. São três guitarristas, uns dois bateristas se revezando, dois tecladistas, uma meia dúzia de vocalistas, dois encarregados pelos sopros e um baixista que, como é tradição nos grupos capitaneados por George Clinton, vale por uns cinco.



Muitos e muitos momentos incríveis. Particularmente o mais emocionante foi com "Maggot Brain", uma viagem instrumental que arrepia mais do que qualquer frio que fizesse na capital paulistana. Isso no meio de um setlis que vai de "One Nation Under a Groove" a "Atomic Dog" e passa até por uma versão pesada de "Crazy", de Gnarls Barkley, onde uma das vocalistas de apoio se esgolea até não poder mais.



De tudo que se passou em cima do palco, registrei 13 minutos do show onde essa turminha muito louca aprontando altas confusões toca "Flash Light" enquanto Mr. Clinton vai buscando fornecer para sua banda e para si mesmo uma boa leva de baseados vindos da área na frente do palco reservada para a imprensa e deficientes. Não dá para escapar do trocadilho e dizer que foi uma apresentação incendiária...



George Clinton and the P-Funk All Stars - "Flash Light"



Quatro e meia da manhã e era hora de ir para o Teatro Municipal garantir lugar na outra razão para estar na Virada Cultural: ver Walter Franco tocar o disco Revolver na íntegra.

Nenhum comentário: