Novidades musicais de todos os tempos. Também estamos em:

Flickr : Youtube : Twitter : Facebook

Destaques do site:

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Sete vídeos de Keziah Jones no Circo Voador (19/11/2014)





Este ano, ao que tudo indica, não vai acontecer o festival Back2Black, tábua de salvação para aqueles que desejam ver ao vivo na cidade alguns dos nomes mais interessantes & importantes da música negra mundial.



Em 2013 eram muitos os destaques quando o festival se mudou para a Cidade das Artes, na Barra da Tijuca (veja aqui como foi o festival ano passado), e alguns acontecendo no mesmo horário, como Milton Nascimento que se apresentava em uma das salas do complexo cultural enquanto em outro lugar estava o nigeriano Keziah Jones.



Doze meses depois do festival, nova chance para conferir o músico. Um público razoável também não desperdiçou a oportunidade, o que até surpreendeu, já que Keziah não é tão conhecido assim no Brasil e não temos por aqui o costume de ir a um show pela curiosidade, mesmo que o ingresso estivesse barato para o padrão (ou falta de padrão) de shows internacionais.







A explicação para a presença do público podia ser ouvida pela quantidade de idiomas sendo falados dentro do Circo, com predominância para o francês. É no país de Gainsbourg que Keziah Jones faz mais sucesso, depois de ter sido descoberto quando tocava pelas ruas e metrô de Londres.




Sujeito do mundo, sua música também traz a marca "multi" pelo que fazia com todas as guitarras que trouxe ao palco. As comparações com Lenny Kravitz, Terence Trent D'Arby, Ben Harper e Living Colour são procedentes, na sua tentativa bem-sucedida de equilibrar funk, rock, blues, r'n'b e soul (ao que ele chama de "blufunk"), músicas como "Million Miles From Home" podem atestar bem isso.







Mas há mais. Keziah acrescenta bem suas origens na mistura que faz, sem necessariamente entrar na prateleira do afrobeat. Uma banda formada por músicos da ex-capital nigeriana Lagos, um mais habilidoso que o outro mesmo, o deixa bem à vontade para mostrar sua técnica percussiva em cima das muitas guitarras e violões que trouxe. E é um ritmo pesado que sai das cordas, tanto é que elas arrebentam duas vezes.



O arsenal que o músico tem para se diferenciar é amplo, seja musical ou não. Na parte musical, chama atenção a guitarra de duas cordas durante "Dear Mr. Cooper" e o uso que faz do violão em "Blufunk is a Fact". Na parte visual, foi percebida alegria por parte do público feminino quando ele tira a camisa, que só fui substituída por outra já no bis e antes, quando um assistente coloca em seus ombros uma capa vermelha, usada para encarnar o super-herói imaginado que dá nome ao novo álbum, Captain Rugged.







Mas os heróis de Keziah aparecem através das balançantes e vigorosas versões que faz de Jimi Hendrix (via Bob Dylan) e Fela Kuti, que encerra um show que credencia o músico nigeriano a voltar a terras cariocas em próximas turnês.





Veja os 7 vídeos que gravei aí embaixo ou clicando aqui.





Músicas gravadas:

Dear Mr. Cooper

Million Miles From Home

Blufunk Is a Fact

All Along The Watchtower

Pass The Joint

Afronewave

Música de Fela Kuti

Nenhum comentário: